Turismo no RJ registra prejuízo por causa da greve dos caminhoneiros

O feriadão de Corpus Christi está sendo de prejuízos no setor de turismo no estado do Rio de Janeiro. Reservas foram canceladas em hotéis e pousadas de todo estado, como mostrou o RJ2 nesta quinta-feira (31).
De acordo com a pesquisa prévia da associação de hotéis do estado (ABIH-RJ), a média de ocupação dos destinos turísticos do interior fluminense está em 69,84%. No ano passado, o índice fechou em 74,45%.
Na capital, a taxa de ocupação é de 47%, a mesma do feriadão do ano passado. Os hoteleiros esperavam um aumento, mas, segundo eles, a greve dos caminhoneiros causou problemas no abastecimento de supermercados e nos postos de combustível, o que afastou os turistas.
Dono de um hostel em Copacabana, na Zona Sul do Rio, Fernando Camargo usa descontos para atrair hóspedes: “Quem quiser vir, tem 10% de desconto”, diz.
De acordo com ele, 80% dos leitos estavam ocupados, mas as reservas para o feriado foram canceladas.
“Foram 13 cancelamentos de gente de diversas partes do Brasil, principalmente, Minas Gerais e São Paulo”, conta.

Problemas no interior do RJ
Em pleno feriado, praias e quiosques de Cabo Frio, na Região dos Lagos, estão vazios.
“Nunca vi um feriado tão ruim em 27 anos de quiosque aqui”, contou Emilson, dono de quiosque na cidade.
Em uma pousada no bairro da Ogiva, em Cabo Frio, tem 20 suítes. Só quatro estão ocupadas.
“Não vieram, cancelaram as suas reservas talvez com medo de falta de gasolina, de falta de comida guardando assim seu combustível e comida para emergência. Como turismo não é emergência. Turismo é lazer, então, praticamente tudo foi cancelado, afirmou Márcio Bacellar, administrador da pousada.
40% a menos que o previsto
A expectativa da Associação de Hotéis de Cabo Frio era de 90% de ocupação neste feriado de Corpus Christi. Mas a ocupação da rede não chegou a 50%.
Em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, os hotéis e pousadas do Centro da cidade registraram ocupação de 86%. Mas dois eventos previstos para o feriado foram cancelados, o que prejudicou a ocupação.
Os turistas relatam que ainda tem medo de vir a Petrópolis e não ter combustível para voltar para casa.
“Chegamos agora pela manhã e vamos conhecer. O único perigo é a gente não conseguir sair. Mas a cidade é linda e ficar por aqui não vai ser problema”, divertiu-se a professora Marcilene da Silva.

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/turismo-no-rj-registra-prejuizo-por-causa-da-greve-dos-caminhoneiros.ghtml